Fugitivo


2

Fugitivo da senzala
Terra pra nunca voltar
Onde o tronco apanhava
Trabalhava sem parar
Foi criado um quilombo
Onde o rei era zumbi
Homem forte e virtuoso
Mas seu sonho era viver
Trabalhou dia e noite
Pela aquela liberdade
Retornou para fazenda
Com facão para matar
E falam da aquela historia
Escuta bem não vai voltar
Porque o nego não e escravo
Sua sangue e liberdade
Com a capoeira nego voo
E a liberdade que ele crio

Com a capoeira nego voo
a liberdade que ele crio

Ooooooi mais eu me
Lembro e da batalha
Onde o nego pego
Facão e mato a o feitor
Com a capoeira

Com a capoeira nego voo
a liberdade que ele crio